Novembro Azul: a cor mudou, mas os cuidados com a saúde continuam!

Diagnóstico precoce do câncer de próstata pode salvar vidas




O Novembro Azul é o mês dedicado ao combate e diagnóstico precoce do câncer de próstata – segundo tipo de câncer mais comum entre os homens, perdendo apenas para o câncer de pele não-melanoma. A campanha é celebrada todos os anos no Brasil e surgiu na Austrália, em 2003.

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), a cada 28 minutos, um homem morre vítima da doença no país. No entanto, se o câncer de próstata for descoberto logo no início, há 90% de chances de cura. O diagnóstico precoce pode salvar vidas. O preconceito não.


Principais sintomas do câncer de próstata

De acordo com o Ministério da Saúde, o câncer de próstata não apresenta sintomas se estiver em estágio inicial. Por isso que é tão importante realizar todos os anos os exames preventivos.

Infelizmente, muitos tumores só chegam a ser diagnosticados em fase avançada, o que dificulta, e muito, a cura.

Fatores de risco

Prevenção


Diagnóstico

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que homens negros ou com parentes de primeiro grau que tem ou já tiveram câncer de próstata comecem a realizá-los a partir dos 45 anos. Se você não possui nenhum fator de risco, o ideal é buscar um profissional especializado para avaliação a partir dos 50 anos.

De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar, dois exames são fundamentais para diagnosticar a doença. O exame de sangue, por meio do antígeno prostático específico (PSA), e o exame de toque retal. O exame de toque retal permite avaliar possíveis alterações da glândula, como o endurecimento e presença de nódulos suspeitos.

Segundo a Ministério da Saúde, cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados apenas pela alteração no toque retal. Outros exames podem ser solicitados pelo médico caso haja alguma suspeita, como biópsias e ultrassom transretal.


Tratamento

O tratamento do câncer de próstata vai depender do estágio da doença, idade e expectativa do paciente em relação aos efeitos colaterais de cada medicamento.

As principais opções de tratamento incluem cirurgia, que remove todo o tumor, reduzindo o risco de complicações; radioterapia, que utiliza radiações ionizantes para destruir ou inibir o crescimento das células cancerígenas; testes genéticos, que podem dar uma ideia da probabilidade de como o câncer cresce e se dissemina; terapia hormonal, que tem como objetivo reduzir os níveis de hormônio masculinos (andrógenos) no corpo.

Ainda existem a criocirurgia, também conhecida como crioablação ou crioterapia, utilizada para tratar o câncer de próstata localizado por congelamento; quimioterapia e imunoterapia.


Cuidar da saúde também é coisa de homem. Não tenha vergonha de falar sobre o assunto. Cuide-se!

Fontes:

Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

Ministério da Saúde

Instituto Oncoguia

Instituto Nacional do Câncer (Inca)

Sociedade Brasileira de Urologia

Quer receber nossas novidades?

Política de Privacidade

CNPJ: 03.656.804/0001-31 // Endereço: Avenida Durval de Goes Monteiro 1896, Tabuleiro dos Martins, Maceió – AL CEP 57061-000